O caminho para a ribalta mundial passa pela Caparica

Noticias

O caminho para a ribalta mundial passa pela Caparica

Tiago “Saca” Pires volta aos eventos da liga mundial, como mentor de Vasco Ribeiro, no Caparica Pro, etapa do circuito de qualificação

Vasco Ribeiro e seu novo mentor, Tiago “Saca” Pires, são os cabeças-de-cartaz mas há, entre os inscritos, muitos mais aspirantes a chegar à elite do surf. A partir de segunda-feira, dia 10, o caminho para a ribalta passa pela Costa de Caparica. As praias do Paraíso e do Dragão Vermelho recebem o Caparica Pro (categoria QS/1000), nova etapa lusa do circuito de qualificação para a divisão principal da liga mundial de surf (WSL) e um dos pontos altos do Caparica Primavera Surf Fest, evento multidisciplinar que anima o concelho de Almada entre 6 e 15 deste mês.

Pela primeira vez desde 2010, Portugal tem quatro eventos no calendário do circuito mundial de qualificação – WQS, divisão de acesso ao World Championship Tour, em que Tiago Pires participou e onde está atualmente Frederico Morais. E a peregrinação dos surfistas que vão tentando amealhar pontos, degrau a degrau, para chegar ao topo – com paragem prevista em Santa Cruz, São Miguel e Cascais e muitas outras praias de todo o globo – volta a passar na Costa de Caparica, como não acontecia desde 2006. Ao mesmo tempo, entre dias 10 e 15 deste mês, as areias da Costa acolhem também etapas dos circuitos mundiais de qualificação de juniores e de longboard (tanto masculinas como femininas).

“Estas provas são muito importantes para os surfistas que estão a tentar amealhar pontos para subir no circuito de qualificação terem oportunidade de competir em provas com maior cotação e, em última análise, atacarem a presença no World Tour, como o fez o Frederico Morais”, explicou, na conferência de imprensa de apresentação do evento, Francisco Spínola, representante da WSL em Portugal e rosto da organização da etapa de Peniche do circuito mundial. Por isso, o Caparica Pro junta muitas estrelas do surf nacional. “Vai ser o regresso do Tiago Pires às provas da World Surf League, temos Vasco Ribeiro, Nic von Rupp, Marlon Lipke, Pedro Henrique… a nata do surf nacional estará representada”, descreve, ao DN, Miguel Inácio responsável pela vertente desportiva do Caparica Primavera Surf Fest.

Pires, novo pilar de Vasco Ribeiro

Vasco Ribeiro, campeão mundial de juniores em 2014, e Tiago “Saca” Pires, que competiu entre a elite de 2008 a 2014 e é considerado o melhor surfista nacional de sempre, são os nomes que mais cintilam. Saca tornou-se, no início deste ano, agente e mentor do jovem, tendo na mira a qualificação para o World Tour. “Quero ser o pilar que está por trás do atleta para o apoiar em tudo o que for preciso. A ideia é fazer do Vasco um atleta completo e consistente. Vamos trabalhar nas várias vertentes – física, técnica, mental e nutricional – para fazermos dele um atleta mais bem preparado e com uma longevidade de carreira acima da média”, explicou, via comunicado, o veterano, de 36 anos, que ainda continua a competir.

“Estou muito contente por começar este projeto, por ter o Saca como mentor e agente, o José Seabra como treinador, e por estar a trabalhar com toda a equipa envolvida nisto. Tem sido ótimo e tem tudo para dar certo, com toda a experiência que o Tiago tem e que certamente me vai ajudar imenso. Agora é trabalhar forte e trabalhar bem para conquistar os meus objetivos. E o objetivo principal é a qualificação para o World Championship Tour “, acrescentou, na mesma ocasião, Vasco Ribeiro, de 22 anos.

Além de juntar os/as melhores surfistas nacionais e algumas figuras internacionais, o Caparica Pro – que atribui mil pontos ao vencedor e é uma das duas etapas portuguesas no circuito feminino de qualificação – é também uma oportunidade de afirmação para os talentos locais, como Francisco Alves. “Neste ano vou apostar em força no WQS e esta prova em especial, por se realizar em casa, nas praias em que cresci e aprendi a surfar, tem ainda maior importância. Vou com tudo para ganhar, como, aliás, é habitual”, afirmou o surfista da Caparica, na apresentação do evento.

Juniores e longboard em foco

De resto, o Caparica Pro Junior – que atribui mil pontos para o ranking dos circuitos masculino e feminino de qualificação, em juniores – é outro campeonato onde nomes nacionais, como Afonso Antunes, Guilherme Ribeiro e Mafalda Lopes, podem sobressair. A prova, que contribuiu para a afirmação internacional das praias da Costa (que a acolhem pelo terceiro ano consecutivo), teve, em 2016, Teresa Bonvalot como vencedora, entre as mulheres, e Luís Perloiro e João Moreira como 2.º e 3.º classificados, entre os homens.

Também de regresso às ondas da Costa de Caparica, após anos de ausência, estão os melhores do mundo no estilo clássico, com pranchas alongadas. O Caparica Longboard Pro junta-se neste ano ao Longboard Pro Gaia (junho) no circuito mundial da disciplina. Entre os inscritos estão figuras como o campeão nacional João Dantas ou os locais Luís “Lufi” Bento e José de La Fuente.

No entanto, o programa da terceira edição do Caparica Primavera Surf Fest não se esgota nas provas sob a égide da liga mundial de surf. Além dos concertos (com nomes como Diogo Piçarra, PAUS ou Virgul), o cartaz inclui um total de nove modalidades, distribuídas por 18 campeonatos e exibições.

http://www.dn.pt/desporto/interior/o-caminho-para-a-ribalta-mundial-passa-pela-caparica-5765170.html

admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Costa De Caparica

Ajude-nos a divulgar a Costa de Caparica