Mais oito áreas protegidas vão ter projecto-piloto de prevenção de incêndios

Noticias

Mais oito áreas protegidas vão ter projecto-piloto de prevenção…

Depois dos planos desenhados para o Parque Natural da Peneda-Gerês ou para o Parque Natural do Douro, o Governo avança com novos projetos-piloto. Investimento ronda os 8,5 milhões de euros.

Foto: Pedro Granadeiro/Global Imagens

O Conselho de Ministros aprovou, esta quinta-feira, a criação de novos projetos-piloto de prevenção estrutural de incêndios para oito áreas protegidas, semelhantes aos realizados no Parque Nacional da Peneda Gerês, Parque Natural do Douro Internacional e o Monumento Natural de Ródão.




Em causa está um investimento de 8,5 milhões de euros nas áreas protegidas de São Mamede, Serra D’Aire e Candeeiros, Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, Arriba Fóssil da Costa de Caparica, Lagoas da Sancha e Santo André, Arrábida, Serra do Açor e Ria Formosa, anunciou o ministro do Ambiente e da Transição Energética, João Pedro Matos Fernandes.

Na sequência da aprovação do plano piloto para o Parque Natural da Peneda Gerês, após os incêndios que o assolaram em 2016, o Governo decidiu replicar, com as devidas adaptações, este plano em duas áreas protegidas atingidas por fogos de 2017: o Parque Natural do Douro Internacional e o Monumento Natural das Portas de Ródão.

Decidiu ainda fazer uma intervenção de caráter preventivo em três outras áreas que incluem os Parques Naturais do Tejo Internacional e de Montesinho e a Reserva Natural da Serra da Malcata.

“O resultado que obtivemos é, de facto, excecional, a área ardida nos cinco territórios que têm projeto-piloto ativo a redução de área ardida é de 98%”, declarou o ministro do Ambiente, na segunda conferência realizada no âmbito do Conselho de Ministros realizado na Tapada de Mafra.




Segundo João Pedro Matos Fernandes, estes projetos-piloto passam sobretudo pela “prevenção estrutural contra incêndios, que, numa área protegida, é muito mais do que limpar mato e fazer linhas de defesa primária”.

“É recuperar essencialmente os habitats originais, alguns deles estavam muito dependentes para a riqueza da sua biodiversidade da própria presença da atividade humana, da atividade agro-silvo-pastoril”, assinalou o ministro do Ambiente e da Transição Energética.

https://www.tsf.pt/sociedade/ambiente/interior/mais-oito-areas-protegidas-vao-ter-projecto-piloto-de-prevencao-de-incendios-10086301.html

admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Costa De Caparica

Ajude-nos a divulgar a Costa de Caparica